Haddad revê estimativas para evitar que MP seja devolvida

Arquivado em:
Publicado Terça, 16 de Janeiro de 2024 às 17:42, por: CdB

O Ministério da Fazenda informou três impactos diferentes com a derrubada do veto. Inicialmente, a pasta tinha informado R$ 25 bilhões para o Orçamento de 2024. Posteriormente, estimou em R$ 20 bilhões e, por fim, em R$ 16 bilhões.


Por Redação - de Brasília

A existência de números díspares apresentados pela equipe econômica levou o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, a refazer junto à Receita Federal (RF) as estimativas de perda com a prorrogação da desoneração da folha de pagamento. O ministro levou o novo cálculo ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), que negocia na Casa a avaliação da medida.

economia.jpg
O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, negocia texto de MP com o Congresso


O Ministério da Fazenda informou três impactos diferentes com a derrubada do veto. Inicialmente, a pasta tinha informado R$ 25 bilhões para o Orçamento de 2024. Posteriormente, estimou em R$ 20 bilhões e, por fim, em R$ 16 bilhões.

Previdência

— Eu pedi para a Receita reestimar (a perda de arrecadação). Nós usamos esse tempo (desde a votação sobre os vetos presidenciais) para fazer uma estimativa de renúncia não prevista no Orçamento que compromete os objetivos pretendidos — disse Haddad, na noite passada.

Segundo o ministro, o novo cálculo considerará tanto a perda com a prorrogação da desoneração da folha de pagamento de 17 setores como com a redução da alíquota da Previdência Social para os municípios de pequeno porte.

Edições digital e impressa

 

Utilizamos cookies e outras tecnologias. Ao continuar navegando você concorda com nossa política de privacidade.

Concordo