Google processa supostos golpistas sobre app falsos de criptomoedas

Arquivado em:
Publicado Sexta, 05 de Abril de 2024 às 12:43, por: CdB

O processo diz que Yunfeng Sun, de Shenzhen, e Hongnam Cheung, de Hong Kong, estavam envolvidos em um esquema que gerou prejuízos de até dezenas de milhares de dólares por vítima desde 2019.


Por Redação, com Reuters - de Nova York


O Google processou dois cidadãos chineses em um tribunal federal de Nova York na quinta-feira, acusando-os de usar indevidamente sua loja de aplicativos Google Play para enganar milhares de usuários por meio de dezenas de aplicativos falsos de investimento em criptomoedas.




google-2.jpg
O Google processou dois cidadãos chineses em um tribunal federal de Nova York

O processo diz que Yunfeng Sun, de Shenzhen, e Hongnam Cheung, de Hong Kong, estavam envolvidos em um esquema que gerou prejuízos de até dezenas de milhares de dólares por vítima desde 2019.


O Google acusou Sun e Cheung de extorsão e de violar os termos de serviço da empresa e outras políticas. Sun e Cheung não puderam ser contatados imediatamente para comentar o assunto.


– Não toleraremos o uso indevido de nossas plataformas para facilitar fraudes com criptomoedas – disse a conselheira geral do Google, Halimah DeLaine Prado. "Esse litígio é um passo fundamental para responsabilizar esses malfeitores."


O Google disse que Sun e Cheung se engajaram em um esquema de "engenharia social" para atrair as vítimas para seus aplicativos por meio de mensagens de texto "desorientadas".


"As mensagens de texto pareciam ser de números errados, mas depois os autores das mensagens começavam a conversar com as vítimas, desenvolvendo 'amizades' e 'vínculos românticos'", diz a denúncia.



Fraudadores


Os supostos fraudadores então convenciam as vítimas a "investir" por meio dos aplicativos e permitiam que elas retirassem apenas pequenas quantias de seus "retornos", de acordo com o Google.


"Quando os usuários tentavam sacar quantias maiores de seus 'ganhos', eles eram instruídos a pagar mais dinheiro", disse o Google. "Quando as vítimas reclamavam com o 'amigo' ou 'parceiro romântico' que as havia orientado de forma tão prestativa durante o processo, o 'amigo' ou 'parceiro romântico' simplesmente desaparecia."


O processo também diz que Sun e Cheung usaram vídeos do YouTube, anúncios em mídias sociais e comunicados de imprensa falsos para fazer com que os aplicativos parecessem legítimos.


O Google disse que desativou 87 aplicativos falsos de Sun e Cheung nos últimos quatro anos, que foram baixados por quase 100 mil usuários em todo o mundo.




Edições digital e impressa

 

Utilizamos cookies e outras tecnologias. Ao continuar navegando você concorda com nossa política de privacidade.

Concordo