Alckmin cobra mais empenho dos ricos, na preservação do planeta

Arquivado em:
Publicado Quarta, 27 de Março de 2024 às 19:47, por: CdB

"Os ricos poluem e os pobres pagam a conta. E dentre os pobres, os mais pobres ainda pagam (mais) a conta", afirmou, em discurso ao lado dos ministros Carlos Fávaro, da Agricultura, e Alexandre Silveira, de Minas e Energia; além de parlamentares e representantes do agronegócio.


Por Redação, com ABr - de Brasília

Vice-presidente da República, o ministro da Indústria e Comércio, Geraldo Alckmin, cobrou mais empenho dos países mais ricos na busca por soluções internacionais diante da "necessidade urgente" do combate à mudança climática. Ele lembrou que o ano de 2023 bateu recordes de calor.

alckmin.jpg
Ministro da Indústria, Comércio e Serviços, o vice-presidente Geraldo Alckmin cconversa com empresários sobre soluções sustentáveis para o meio ambiente


— Os ricos poluem e os pobres pagam a conta. E dentre os pobres, os mais pobres ainda pagam (mais) a conta — afirmou, em discurso ao lado dos ministros Carlos Fávaro, da Agricultura, e Alexandre Silveira, de Minas e Energia; além de parlamentares e representantes do agronegócio, durante reunião da Frente Parlamentar do Biocombustível.

 

Cooperação


O vice-presidente afirmou, ainda, que o Brasil tem o poder de liderar as discussões sobre três temas centrais no debate mundial: a segurança alimentar, a segurança energética e o combate às mudanças climáticas.

Mas voltou a exigir compromisso dos países mais ricos ao afirmar que irá cobrar do presidente da França, Emmanuel Macron, avanço com relação ao acordo de cooperação internacional entre Mercosul e União Europeia.

— Eu estou indo para São Paulo, o presidente Macron está indo para São Paulo. Nós vamos ter um encontro na Federação da Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp) e eu vou cobrar o acordo Mercosul-União Europeia — concluiu.

Edições digital e impressa

 

Utilizamos cookies e outras tecnologias. Ao continuar navegando você concorda com nossa política de privacidade.

Concordo