SpikeVax: Distrito Federal começa a aplicar nova dose contra a covid

Arquivado em:
Publicado Quarta, 15 de Maio de 2024 às 12:30, por: CdB

Em nota, a Secretaria de Saúde destacou que, independentemente do número de doses prévias contra a covid-19, todos que pertencem aos grupos prioritários devem tomar uma dose ao ano da SpikeVax.


Por Redação, com ABr - de Brasília


A Secretaria de Saúde do Distrito Federal começou a aplicar, nesta quarta-feira, a vacina contra a covid-19 SpikeVax, da farmacêutica Moderna.




vacinacovid-1.jpg
Imunizante da Moderna protege contra variantes recentes

Os imunizantes se destinam a crianças de até 4 anos, conforme calendário de rotina, e como dose de reforço para os seguintes grupos prioritários:


Pessoas com 60 anos ou mais;

Pessoas que vivem em instituições de longa

Permanência;

Pessoas imunocomprometidas;

Gestantes e puérperas;

Trabalhadores da saúde;

Pessoas com deficiência permanente;

Pessoas com comorbidades;

Pessoas privadas de liberdade;

Adolescentes cumprindo medidas socioeducativas;

Funcionários do sistema de privação de liberdade;

Ribeirinhos;

Quilombolas;

Indígenas.

Em nota, a Secretaria de Saúde destacou que, independentemente do número de doses prévias contra a covid-19, todos que pertencem aos grupos prioritários devem tomar uma dose ao ano da SpikeVax. No caso de pessoas com mais de 60 anos, imunocomprometidos e gestantes ou puérperas, a orientação é receber uma dose a cada seis meses.


“Quem estiver nessas três condições e tiver tomado a vacina Pfizer Bivalente em 2024 deve retornar três meses após a dose aplicada”, ressaltou o órgão.


Para receber a dose, é necessário apresentar documento com foto e a caderneta de vacinação. Pessoas dos grupos prioritários devem apresentar ainda laudos médicos que apontem as comorbidades listadas ou comprovantes das atividades profissionais previstas, conforme o caso.


São classificados como indivíduos imunocomprometidos ou em condição de imunossupressão:





  • Pessoas transplantadas de órgão sólido ou medula óssea;


  • Pessoas vivendo com HIV;


  • Pessoas com doenças inflamatórias imunomediadas em atividade e em uso de corticoide em doses iguais ou maiores que 20 miligramas (mg) ao dia de prednisona, ou equivalente, por 14 dias ou mais;


  • Crianças de até 10 quilos que receberam 2 mg ou mais de prednisona por dia, por mais de 14 dias;


  • Pessoas em uso de imunossupressores e/ou imunibiológicos que levem à imunossupressão;


  • Pessoas com erros inatos de imunidade (imunodeficiências primárias);


  • Pessoas com doença renal crônica em hemodiálise;


  • Pacientes oncológicos que realizam ou realizaram tratamento;


  • Quimioterápico ou radioterápico que estão em acompanhamento;


  • Pessoas com neoplasias hematológicas.


Já as comorbidades incluídas como prioritárias para a vacinação com a SpikeVax são:





  • Diabetes mellitus;


  • Pneumopatias crônicas graves;


  • Hipertensão arterial resistente (HAR);


  • Hipertensão arterial estágio 3;


  • Hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo;


  • Insuficiência cardíaca;


  • Cor pulmonale e hipertensão pulmonar;


  • Cardiopatia hipertensiva;


  • Cíndromes coronarianas;


  • Valvopatias;


  • Miocardiopatias e pericardiopatias;


  • Doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas;


  • Arritmias cardíacas;


  • Cardiopatias congênitas em adultos;


  • Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados;


  • Doenças neurológicas crônicas e distrofias musculares;


  • Doença renal crônica;


  • Hemoglobinopatias e disfunções esplênicas graves;


  • Obesidade mórbida (índice de massa corporal maior ou igual a 40);


  • Síndrome de Down e outras trissomias;


  • Doença hepática crônica.


Entenda


A aquisição da nova vacina tem como proposta atualizar a proteção contra a covid-19, já que a SpikeVax protege contra variantes do vírus que surgiram mais recentemente, além de suas sublinhagens, como a VOI JN.1 e a VOI XBB 1.5.


Ainda de acordo com a Secretaria de Saúde, a dose produzida pela Moderna pode ser administrada juntamente com outras vacinas, exceto a da dengue. “Na prática, é possível atualizar diversos esquemas vacinais simultaneamente, incluindo, por exemplo, a vacina contra a gripe (influenza), tétano, febre amarela, sempre de acordo com o calendário vacinal”.


A lista dos locais de vacinação no Distrito Federal pode ser acessada aqui.




Edições digital e impressa

 

Utilizamos cookies e outras tecnologias. Ao continuar navegando você concorda com nossa política de privacidade.

Concordo