Ministros de Lula sobem no conceito dos parlamentares

Arquivado em:
Publicado Quinta, 10 de Agosto de 2023 às 15:26, por: CdB

Na outra ponta, com o maior número de avaliações negativas, destaca-se o ministro-chefe da Casa Civil, Rui Costa, com 41% de menções negativas. O segundo é o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, com 28%.


Por Redação – de Brasília

A pesquisa Genial/Quaest na Câmara, junto aos deputados, estabelece um novo ranking entre os ministros do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Na Esplanada dos Ministérios, os mais populares são Fernando Haddad, da Fazenda, com a melhor avaliação mais positiva (52%) entre os parlamentares. O ministro Flávio Dino, da Justiça e Segurança Pública (48%), ficou em segundo lugar, com Simone Tebet (47%), do Planejamento, em terceiro e o ministro Alexandre Padilha (Relações Institucionais) em seguida, com 41% dos votos.

haddad-lira.jpg
Entre os ministros de Lula, Haddad lidera as negociações de temas sensíveis ao governo


Na outra ponta, com o maior número de avaliações negativas, destaca-se o ministro-chefe da Casa Civil, Rui Costa, com 41% de menções negativas. O segundo é o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, com 28%.

Em um momento mais positivo agora, na relação entre o presidente Lula e os eleitores, às vésperas de uma mexida na equipe, o quadro tende a ter sido alterado para melhor. Ainda assim, no período em que os pesquisadores foram a campo, os parlamentares se dividiam em, basicamente, três grupos de igual tamanho quanto à avaliação do governo, segundo a pesquisa divulgada nesta quinta-feira.

Regular


Segundo o estudo, 35% dos deputados classificam a atual administração como positiva, contra 33% de avaliações negativas. Outros 30% responderam que o governo em curso é regular.

As entrevistas, no entanto, ocorreram entre 13 de junho e 6 de agosto, um dos piores momentos da relação de Lula com o Congresso em seu terceiro mandato ‒ quando a medida provisória da reestruturação dos ministérios ficou por um fio de perder validade. Mas também contemplou o melhor momento da atual gestão no parlamento, após a aprovação do novo marco fiscal e da reforma tributária ‒ pautas prioritárias da agenda econômica.

A pesquisa mostra que 86% dos parlamentares filiados a partidos de esquerda entrevistados avaliam a atual administração positivamente e nenhum deste grupo figura no campo oposto.

Nordeste


Entre os deputados de direita, 74% são críticos e apenas 4% apresentam visão favorável ao Palácio do Planalto. Entre os identificados como de “centro”, o placar é 34% contra a 7% a favor de Lula, embora a maioria (56%) classifique a atual gestão como regular.

Metade dos parlamentares ouvidos na pesquisa respondeu que o partido ao qual estão filiados pertencem a base do governo na Câmara. Outros 19% disseram que suas legendas são independentes, e 26%, de oposição. O restante (5%) optou por não responder.

A região em que Lula tem mais força parlamentar é o Nordeste ‒ o que coincide com seu desempenho nas pesquisas junto à população em geral. Metade dos deputados nordestinos classificaram a atual gestão como positiva, contra apenas 15% respostas negativas.

Felizes


Já o Centro-Oeste e o Norte são os principais focos de resistência. Segundo o levantamento, 43% avaliam negativamente a atual administração, ao passo que 28% na região deram respostas favoráveis. Para 52% dos deputados ouvidos, o Brasil está na direção correta, enquanto outros 42% pensam o contrário, e 6% dos entrevistados optaram por não responder ao questionamento.

O levantamento mostra, ainda, que 46% acreditam que os brasileiros hoje estão mais felizes do que um ano atrás ‒ situação de empate técnico com aqueles que veem a população menos satisfeita (43%).

A pesquisa ouviu 186 deputados de 21 partidos, em uma amostra representativa do plenário da Câmara. O percentual de deputados por partido é semelhante ao do universo da Câmara. Assim como a distribuição por região. A margem de erro estimada é de 4,8 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Edição digital

 

Utilizamos cookies e outras tecnologias. Ao continuar navegando você concorda com nossa política de privacidade.

Concordo