Lira articula com o ‘Centrão’ a retomada do chamado ‘Orçamento secreto’

Arquivado em:
Publicado Quinta, 30 de Novembro de 2023 às 18:32, por: CdB

O Congresso aprova, anualmente, emendas por meio das comissões da Câmara e do Senado. Dessa vez, os parlamentares querem aumentar o volume desses recursos e impor o pagamento das emendas ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PL), no ano que vem.


Por Redação - de Brasília

Presidente da Câmara, o deputado Arthur Lira (PP-AL) estuda formas de recuperar o chamado ‘Orçamento secreto’, um esquema de compra de votos criado no governo de Jair Bolsonaro e denunciado em uma série de reportagens do diário conservador paulistano O Estado de S. Paulo (OESP), ao longo do ano passado. O sistema servia para a distribuição de dinheiro público por meio de emendas da Mesa Diretora da Casa, presidida pelo parlamentar alagoano.

lira.jpg
Presidente da Câmara, o deputado Arthur Lira (C) articula a volta do Orçamento Secreto


Desde que foi descoberto e interceptado por uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), ainda sob a Presidência da ministra Rosa Weber, que declarou o ‘Orçamento secreto’ inconstitucional, o chamado ‘Centrão’ vem buscando uma forma de contornar a legislação e voltar a capturar os recursos do Orçamento para distribuí-los entre entre aliados apenas sob o critério político e dos interesses financeiros do grupo.

O Congresso aprova, anualmente, emendas por meio das comissões da Câmara e do Senado. Dessa vez, os parlamentares querem aumentar o volume desses recursos e impor o pagamento das emendas ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PL), no ano que vem.

 

Sucessão


A Mesa Diretora da Câmara, presidida por Lira e composta por 11 deputados, é uma das comissões da Casa e, portanto, pode apresentar emendas ao Orçamento. As indicações da Mesa devem, porém, se restringir a questões administrativas e legislativas do Congresso. No ano passado, o colegiado apresentou emendas para garantir recursos no Orçamento para o aumento de salário dos deputados.

“O que Arthur Lira quer em 2024 é aumentar o escopo e os valores das emendas da comissão da Mesa, ampliando as indicações para obras e envio de recursos a municípios em ano de eleições municipais. O parlamentar estará no último ano como presidente da Câmara e tenta emplacar um aliado na sucessão”, apurou o OESP, em texto publicado nesta quinta-feira.

A estratégia de Lira, segundo o jornal, foi confirmada por integrantes da Mesa Diretora da Câmara. Procurado pela reportagem, o presidente da Casa não quis comentar.

— Isso está sendo discutido muito entre o presidente da Casa e o governo. É uma conversa — desconversou o deputado Luciano Bivar (União-PE), primeiro secretário da Mesa.

Edição digital

 

Utilizamos cookies e outras tecnologias. Ao continuar navegando você concorda com nossa política de privacidade.

Concordo