Imperatriz fecha primeiro dia de desfiles com enredo místico

Arquivado em:
Publicado Segunda, 12 de Fevereiro de 2024 às 15:07, por: CdB

A Imperatriz levou uma atmosfera esotérica e mística à avenida. As diferentes alas abordaram temas como interpretação de sonhos, leitura de mãos e astrologia.


Por Redação - do Rio de Janeiro

A Imperatriz Leopoldinense de Padre Miguel fechou o primeiro dia de desfiles do Grupo Especial na Sapucaí com o samba-enredo 'Com a sorte virada pra lua, segundo o testamento da cigana Esmeralda'. O enredo fala sobre a cigana Esmeralda, entidade cultuada na umbanda e no candomblé. A partir dela, a Imperatriz montou um desfile sobre sonhos, sorte e destino.

rafa-kalimann.jpg
Musa da Imperatriz, Rafa Kalimann desfilou na madrugada desta segunda-feira


A Imperatriz levou uma atmosfera esotérica e mística à avenida. As diferentes alas abordaram temas como interpretação de sonhos, leitura de mãos e astrologia.

Maria Mariá é a rainha de bateria. Phelipe Lemos e Rafaela Theodoro são o Mestre-Sala e a Porta-Bandeira, Lolo é o Mestre de Bateria e Pitty de Menezes é a intérprete do enredo.

 

Musa


O desfile marcou a estreia de Rafa Kalimann como destaque no chão da Sapucaí. Com asas e tapa-sexo, ela representou a entidade que conduz o público ao mundo dos sonhos. Depois dela, entraram na avenida alas representando diferentes símbolos presentes no inconsciente, como rosas, cisnes ou damas do baralho.

No primeiro setor do desfile, um balão carregava um dos componentes da escola. O elemento cenográfico era estampado com o rosto da cigana Esmeralda em meio a diferentes planetas, e representa um dos versos do enredo: 'A Imperatriz desfila com a sorte virada pra lua'.

Edição digital

 

Utilizamos cookies e outras tecnologias. Ao continuar navegando você concorda com nossa política de privacidade.

Concordo