Deputado ultraconservador assume lugar de Amélia Barros

Arquivado em:
Publicado Segunda, 13 de Maio de 2024 às 18:47, por: CdB

Antes, no entanto, Nelson Barbudo foi vereador no município de Alto Taquari, no MS, em 2004. Agricultor ligado à bancada ruralista, Barbudo chegou a ser multado, ainda em 2005, por desmatar áreas de preservação permanente. Já na Câmara, ele foi autor de projetos ligados diretamente ao setor rural que apoia Bolsonaro. Um deles, por exemplo, propõe regulamentar a caça de animais no país.


Por Redação - de Brasília

Com a morte da deputada Amália Barros (PL-MT), na véspera, assume a vaga o suplente Nelson Ned Previdente, conhecido como Nelson Barbudo. Deputado mais votado em Mato Grosso nas eleições de 2018, Nelson Barbudo chegou à Câmara na esteira da ascensão do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Naquele pleito, ele recebeu 126 mil votos. Assim como Bolsonaro – à época -, ele também era filiado ao PSL.

barbudo.jpg
Barbudo é um daqueles que defendem a regulamentação da caça a animais silvestres


Antes, no entanto, Nelson Barbudo foi vereador no município de Alto Taquari, no MS, em 2004. Agricultor ligado à bancada ruralista, Barbudo chegou a ser multado, ainda em 2005, por desmatar áreas de preservação permanente.

Já na Câmara, ele foi autor de projetos ligados diretamente ao setor rural que apoia Bolsonaro. Um deles, por exemplo, propõe regulamentar a caça de animais no país.

 

Marco Civil


Outro, que ainda segue em tramitação, visa fazer com que a palavra “carne” não apareça em embalagens de alimentos que não são de origem animal. Na sua primeira passagem pelo Legislativo, Barbudo também foi além dos temas rurais e tentou alterar o Marco Civil da Internet.

O deputado tinha como proposta fazer com que a classificação de um conteúdo falso na rede deveria passar pela autorização do próprio disseminador do conteúdo.

— Imagina-se que um verificador de notícias interessado em apoiar determinada agenda política poderá, por exemplo, submeter a escrutínio apenas publicações de figuras políticas que defendam interesses contrários aos seus, classificando-os sistematicamente como falsos — argumentou Barbudo.

Em 2022, Barbudo não repetiu o desempenho do pleito anterior e sequer alcançou o número de votos suficientes para ser eleito.

Edições digital e impressa

 

Utilizamos cookies e outras tecnologias. Ao continuar navegando você concorda com nossa política de privacidade.

Concordo