Alemanha registra alta de 320% de incidentes antissemitas, diz relatório

Arquivado em:
Publicado Quarta, 29 de Novembro de 2023 às 12:07, por: CdB

De 7 de outubro, quando o Hamas lançou ataque terrorista a Israel, a 9 de novembro, quase mil ocorrências foram confirmadas. Algumas envolvem violência extrema e destruição de propriedade, informou uma associação alemã.


Por Redação, com DW - de Berlim


A Associação Federal de Departamentos de Pesquisa e Informação sobre o Antissemitismo (RIAS), que registra incidentes de antissemitismo em toda a Alemanha, divulgou na terça-feira seu mais recente relatório, no qual documenta quase mil casos de agressão contra judeus ocorridos no país após o ataque terrorista do Hamas a Israel em 7 de outubro.




alemanha-3.jpg
Entre os incidentes registrados, houve um ataque com bomba incendiária contra uma sinagoga em Berlim

O relatório mais recente compilou os incidentes antissemitas na Alemanha de 7 de outubro a 9 de novembro, e identificou uma média de 29 de casos por dia. Pichações antissemitas, marcação de casas e instituições judaicas e ataques físicos brutais estavam entre os incidentes registrados. Uma sinagoga em Berlim foi alvo de um ataque incendiário


A quantidade de incidentes é 320% maior do que na comparação com o mesmo período de 2022.


O relatório analisou 994 casos verificados, incluindo três casos de violência extrema, 29 ataques, 72 incidentes de destruição direcionada de propriedade, 32 ameaças, 4 envios de correspondência em massa antissemita e 854 casos de comportamento injurioso. Os casos de comportamento injurioso incluem 177 reuniões de pessoas com conteúdo antissemita.


Propaganda do Hamas contribuiu para incidentes, diz RIAS


O RIAS afirmou que a desinformação contribuiu para o aumento de reuniões com conteúdo antissemita, citando por exemplo os protestos ocorridos após relatos não verificados de um suposto ataque do Exército israelense ao hospital Al-Ahli, em Gaza, em 17 de outubro.


Os EUA, o Canadá, a França e outros países ocidentais afirmam que dados de inteligência apontam que Israel não foi responsável por esse ataque. Neste domingo, a organização Human Rights Watch informou ter analisado indícios e concluído que a explosão no local foi aparentemente provocada por explosivos utilizados em foguetes do tipo usado pelo Hamas, mas que seria necessário aprofundar a investigação para determinar quem lançou o suposto foguete.


Israel lançou uma campanha militar contra o Hamas em Gaza em reação aos ataques de 7 de outubro do grupo radical islâmico, que é considerado uma organização terrorista pela União Europeia, Estados Unidos, Alemanha e outros países. A ofensiva militar de Israel provocou manifestações na Alemanha, com relatos de ações e slogans antissemitas usados nos eventos.


– Os sucessos da propaganda do Hamas têm mais influência sobre o número e o curso das manifestações na Alemanha do que as ações do próprio Exército israelense – disse Benjamin Steinitz, diretor administrativo do RIAS.


Hanna Veiler, presidente da União de Estudantes Judeus da Alemanha, disse segundo a agência de notícias alemã dpa que os números são alarmantes, mas não surpreendentes. "Os jovens judeus têm relatado repetidamente o quanto o antissemitismo que eles percebem em suas vidas cotidianas aumentou desde 7 de outubro, especialmente no contexto universitário."




Edição digital

 

Utilizamos cookies e outras tecnologias. Ao continuar navegando você concorda com nossa política de privacidade.

Concordo