Ações da Petrobras levam tombo, mas lucratividade permanece alta

Arquivado em:
Publicado Sexta, 08 de Março de 2024 às 19:16, por: CdB

O conselho da petroleira estatal aprovou R$ 1,10 por ação, ou R$ 14,2 bilhões (US$ 2,9 bilhões), em dividendos referentes ao quarto trimestre, conforme comunicado na noite passada.


Por Redação - de São Paulo

A Petrobras divulgou, nesta sexta-feira, patamar de dividendos inferior ao esperado pelo mercado financeiro, em um sinal de que a líder de pagamento de proventos do setor pode ser coisa do passado. As ações despencaram, na B3.

petrobras.png
A Petrobras reafirma seu papel estratégico, investindo em exploração, transição energética e refino, ajustando sua política de preços


O conselho da petroleira estatal aprovou R$ 1,10 por ação, ou R$ 14,2 bilhões (US$ 2,9 bilhões), em dividendos referentes ao quarto trimestre, conforme comunicado na noite passada. Analistas projetavam US$ 3,7 bilhões em proventos, de acordo com média de quatro estimativas revisadas pela agência norte-americana de notícias Bloomberg.

As ações caíram 11% na abertura do pregão, para R$ 35,93. O Santander e o Bradesco cortaram recomendação da companhia para neutro após o anúncio. O real, nesta manhã, foi a moeda mais fraca, sinalizando preocupações com interferência política na Petrobras e em outras empresas de capital aberto.

 

Relatórios


Ao longo do ano passado, a Petrobras não pagou dividendos extraordinários. A expectativa era de ao menos US$ 3 bilhões em proventos desse tipo, de acordo com três relatórios revisados pela Bloomberg.

“Nossa política de dividendos será aperfeiçoada para contemplar investimentos maiores e a absoluta necessidade de manter a saúde financeira”, disse o CEO Jean Paul Prates em carta aos investidores.

Muitos apostavam que a Petrobras continuaria brindando investidores com dividendos para ajudar o governo, seu maior acionista, e fortalecer as finanças públicas. Em vez disso, a empresa prefere manter o dinheiro em caixa enquanto busca aumentar os gastos com exploração e fazer aquisições em energia renovável, além de petróleo e gás.

 

Transição


A maior empresa de petróleo da América Latina perdeu cerca de R$ 30 bilhões em valor de mercado em um único dia na semana passada, devido a preocupações com pagamentos de dividendos.

Prates disse ainda, a jornalistas, que será mais cautelosa ao desembolsar grandes pagamentos porque planeja gastar mais em energia eólica, solar e biocombustíveis – segmentos de negócios que são considerados menos lucrativos do que a produção de petróleo e gás.

Os pares da Petrobras nos Estados Unidos e na Europa continuam fazendo robustos pagamentos de dividendos.

 

Fluxo de caixa


Nos últimos 12 meses, a Exxon Mobil pagou o quarto maior retorno do índice S&P 500, enquanto a Chevron aumentou seus dividendos em 8% no último trimestre, mais do que o previsto. A Shell e a TotalEnergies continuaram recompensando os investidores com recompras de ações.

Prates disse que os retornos totais para os acionistas da Petrobras em 2023 ainda eram cerca de 20% maiores do que seus pares internacionais. Em 2022, a estatal foi a segunda maior pagadora de dividendos entre as empresas de petróleo, excluindo a Saudi Aramco.

 

Ovos de ouro


Lula criticou a empresa por ser uma galinha dos ovos de ouro para investidores privados em vez de gastar mais em refino e transição energética. Prates espera que cerca de metade da receita da Petrobras venha de energia renovável, incluindo biocombustíveis, em uma década.

A Petrobras reportou lucro ajustado R$ 66,85 bilhões, abaixo da estimativa média de R$ 74,45 bilhões dos analistas acompanhados pela Bloomberg. O lucro líquido no trimestre foi de R$ 31,04 bilhões, abaixo do consenso.

Edição digital

 

Utilizamos cookies e outras tecnologias. Ao continuar navegando você concorda com nossa política de privacidade.

Concordo